PANACÉIA DELIRANTE

domingo, 20 de dezembro de 2009

Fotografia

Já era fim de tarde, estávamos quase indo embora da praia quando o dono da barraca chegou para beber com agente. Ele conhecia meu pai e mais ainda o amigo que encontramos por acaso. No total éramos quatro pessoas, cinco com o proprietário, um senhor negro de barbas brancas e fala mansa. Ele em algum momento comentou:

- Incrível como as pessoas aparecem... Foi só eu abrir um álbum retrato hoje de manhã... Lá vi uma foto sua (do amigo de meu pai), e você apareceu. Há quanto tempo agente não se via?

Senti inveja daquele senhor e de seu álbum de fotografias. Se tivesse uma foto sua, olhava todo dia para ver se você me aparecia de surpresa, guardava ela na carteira ou colava atrás do celular, esperava sua ligação e ainda fazia voz de surpresa:

- Alô, quem fala?

Talvez me falte uma barba branca como a daquele senhor, ou não seja merecedora de tamanha sorte. Hoje o álbum mágico do dono da barraca entrou para meu acervo de presentes desejados. Procurei um belo jeito de encerrar esse post, mas não encontrei. Fecho meu álbum imaginário e vou ver televisão...


Para as pessoas que nuca mais vi, e para aquelas outras que ando querendo ver...

Um comentário:

laramoura84 disse...

que lindo lara!
haaai saudade de gentes. . .