PANACÉIA DELIRANTE

sexta-feira, 8 de maio de 2009

A mãe, a semana e a agenda

A semana vai chegando ao fim e é a hora da verdade. Abro a agenda e vejo as dezenas de coisas que deveria ter feito e não fiz. Na folha seguinte encontro outras tantas que não deveria ter feito e fiz. Essa semana nem quero subir na balança! Antes de dormir me olho no espelho:

Como posso ser mãe um dia? Como posso educar, orientar se não consigo obedecer à mim mesma? Como é possível ser incapaz de andar nos próprios trilhos?

Será que o segredo é esse? Controlar a vida de outra pessoa e dessa forma justificar a própria vida descontrolada? Será uma falsa sensação de poder atrelada a um senso de fatalidade relacionado a tudo o que sai errado?

Ser mãe é isso?

2 comentários:

Fulô de Pitanga [Laura Franco] disse...

trem não precisa de mapa: segue sem sentir, displicente e à todo vapor.

se isso é bom?
não sei.

::umacigarra:: disse...

é isso também. essa é a parte humana que a gente explica. tem a parte de bicho que a gente explica também - instinto, permanência da espécie e blablabla. mas tem alguma coisa nessa história toda que a gente cavuca, cavuca e não acha em livro nenhum. acho que nem na wikipédia.
enfim... para o trem - e olha que eu sou mineira, conhecedora dos profundos significados dessa palavra mágica - fica uma pergunta que um caranguejo querido me fez:

"e esse caminho tem coração?"