PANACÉIA DELIRANTE

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Caí numa armadilha. Não pude escapar.
Peguei na biblioteca e pretendia devolver hoje, Além das Ilhas Flutuantes, livro que nem se quer abri, primeiro por falta de tempo e depois por auto-defesa. Escola fechada – Vestibular.
Vou para minha reunião, chego mais cedo, encontro Danilo que se ausenta e... lá estou eu e ele, ele e eu. Eu se entender tudo o que ele dizia, ele sem responder tudo o que eu perguntava.
Aí Danilo voltou e eu aterrissei.
Há mais mistérios entre o céu e a Terra do que pode supor nossa vã filosofia.

2 comentários:

Fulô de Pitanga [Laura Franco] disse...

Além das ilhas flutuantes.
Ler o livro? Compreender o mundo que há neste título...
O GrupoGrupo um dia me fez ver além destas simples palavras, me fez entender a urgência de irmos além das ilhas flutuantes, de sermos mais do que ilhas flutuantes, de ultrapassar, transceder para um outro lugar que não sei onde é, mas que é mais raivoso e apaixonado.

Fulô de Pitanga [Laura Franco] disse...

ou seria apaixonante?