PANACÉIA DELIRANTE

terça-feira, 1 de junho de 2010

(Des) Construindo Dora Maar


A criação de um personagem é muitas vezes um trabalho de bricolagem (união de vários elementos para formação de um único e individualizado). O ator recolhe ali e acolá diversos elementos, com os quais faz uma:
·         Composição
·         Justaposição
·         Contraposição
·         Sobreposição
·         Interposição
·         O que vier...

A moça retratada na figura acima chama-se Dora Maar e foi uma das mulheres e musas de Picasso. Os seus retratos, sua vida e profissão servirão de inspiração na construção de minha personagem. Esse personagem, ainda em processo de gestação, já possui perfil:
·         Elemento Terra
·         Analítica
·         Sua forma geométrica é o quadrado
·         Acredita no amor livre, desapegado

Imagens, poemas, filmes, retratos, canções, pessoas vivas, mortas, inventadas... Os elementos que surgem dentro e fora dos ensaios, para confundir e para esclarecer (ou para confundir com o intuito de esclarecer). Esse redemoinho é característico de começo de processo, e não é incomum eu me sentir tonta.
E como num desenho cubista, reconfiguro a mim mesma, para construir a outra.
Picasso, ao pintar um quadro, partia de um desenho realista, que ia estilizando. Sigo o mesmo caminho: corto, acrescento, observo.  E ali estará aquele corpo, aquela voz: uma síntese construída quase ao acaso. Trabalho cumprido?
Esse quadro nunca recebe assinatura...

Um comentário:

Milena Flick disse...

Diria: para construir uma outra-eu