PANACÉIA DELIRANTE

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Vícios

Todo mundo tem uma mania, ou algum hábito pouco saudável. Eu como o meu dedo. Vou arrancando a pele ao redor da unha; muitas vezes deixo-a em carne viva. Quando estou ansiosa, sou capaz de arrancar a pele de todos os dedos (menos os do pé, pois me resta algum senso de higiene).

Ontem, durante uma leitura, no ensaio, estava eu, distraidamente, fazendo meu canibalismo pessoal, quando percebi que a ferida latejava.

- Ai... Droga! Como dói.

Foi mais tarde que percebi: na verdade, o ferimento estava pulsando. Na ponta do meu dedo, senti meu coração batendo – senti na ferida aberta, na carne viva.

A pulsação não durou muito, em pouco tempo a ferida se tornou um machucado comum, tão chato quanto à dos outros dedos. Entrou para minha a coleção. Perdeu seu brilho.

Quantas chagas não são abertas na esperança de se obter essas pequenas epifanias?

2 comentários:

Ademir Marques disse...

Uma moça tão bonita roendo os dedos, será por tédio será por medo.
Deixe disso enquanto aida é cedo.

Adorei seu blog e com sua permissão vou ser um seguidor.
Beijo suas mãos.

Lara disse...

Os vicios realmente tem como brinde as chagas,
do contrario..seriam bons costumes!